Incompetente, inculto, preconceituoso, ignorante, patético, indecoroso, homofóbico*, ridículo, grosseiro, incompetente (não, não foi erro, é por que o tamanho da incompetência dele é tão grande que escrever uma vez só não é suficiente). Sim, a “coisa” é tudo isso e outras mais.

Mas qual a razão de me posicionar contra o impeachment? Mourão assumir a presidência vai alterar a política econômica? Acredito que não. Esse, ao meu ver, é o cerne da questão.

Se houvesse alguma mínima chance da PEC 37/2019 ser aprovada, no que não acredito, ou seja, se fosse o caso de termos novas eleições, eu seria o primeiro a levantar a bandeira FORA BOLSONAZI, até porque, qualquer novo presidente será melhor do que essa “coisa”.

Na situação que passamos atualmente não é válida aquela frase: “nada é tão ruim que não pode piorar”. Sim, o que vier vai ser melhor ou, no mínimo, menos ruim. Até Ivan Gargur faria um governo melhor do que o dessa “coisa”. Ele é tão fraco e incompetente (de novo), que é muito fácil fazer um governo melhor do que o dele. Seu legado tenebroso vai deixar uma herança mais do que maldita, terrível, para grande parte da população.

Então, como não podemos ter novas eleições, e acredito que Mourão não vai mexer na equipe econômica, a não ser que seja para colocar alguns milicos, sou contra o impeachment. Mas existe um outro motivo, secundário, mas para mim importante. Acredito que nada acontece por um acaso. Então, se o Brasil enfrenta hoje dois vírus, o corona e o Bolsonazi, existe alguma razão para isso, para tamanho sofrimento. Precisamos purgar algo.

 

Os dois vírus no Brasil

Se o mundo todo convive com um vírus, e o Brasil com dois, é por que existe alguma razão para isso. Deus não permitiria que a gente passasse por tudo isso à toa. Não, não sei a razão, mas nada é à toa, tudo tem sua razão de ser. A propósito, eu não acreditava no diabo, mas não é que mudei de opinião a partir de 1º de janeiro de 2019?

Pois bem, voltando aos meus argumentos contra o impeachment da aberração chamada: Bolsonaro. Algum tempo atrás recebi um zap, não lembro de quem, onde estava escrito mais ou menos assim: “sou contra o impeachment, quero Bolsonaro até o final do governo para o brasileiro entender que não se deve brincar com o título de eleitor”. Vou numa linha semelhante. É preciso que aprendamos com os erros, afinal de contas, inteligente é quem reconhece seus próprios erros. Perdoem-me, mas é preciso sofrer até 31 de dezembro 2022.

Já sei o que vão dizer, que estou tranquilo porque sou aposentado. Não, não estou tranquilo. Sofro com o que já vinha acontecendo mesmo antes da pandemia. Viramos motivo de chacota no mundo. A “coisa” é hoje um pária na comunidade internacional. Preocupo-me demais com as pessoas. Que país a “coisa” vai deixar para essa juventude? Não estou sendo egoísta por ser aposentado, até por que convivo com jovens cujo futuro me preocupa, e muito.

Mas é preciso sofrer. É preciso sangrar. Não literalmente. Mas o sofrimento coletivo pode nos tornar melhor.

Fico por aqui. Que DEUS nos proteja.

 

Ivan Gargur

Comentários no facebook